Os BAFTA, os Óscares da Academia Britânica, distinguem este domingo com um prémio honorário a empresa Angel, criada há 175 anos, que recebe assim uma homenagem do cinema britânico para o qual contribuiu com o guarda-roupa e acessórios de alguns dos filmes mais populares da sua história.

A empresa tem a maior coleção mundial privada de figurinos para cinema, teatro e televisão e forneceu o vestuário para 36 ganhadores dos Óscares nessa categoria, a última vez em 2015 por "Grand Budapest Hotel".

Outros títulos que usaram roupa da Angel foram "Star Wars", "Doutor Jivago", "Momentos de Glória", "Gladiador" e as séries de TV "Downton Abbey" e "A Guerra dos Tronos".

As colinas de Hollywood estão bem longe dos bairros e cemitérios da Londres vitoriana do século XIX em que o alfaiate judeu-alemão Daniel Angel montou as bases para o seu sucesso e do BAFTA honorário.

"Era um alfaiate e costurava roupas usadas onde é hoje Earlham Street [centro de Londres], na época um bairro terrível", disse à AFP Tim Angel, descendente de Daniel e presidente da empresa.

Com grandes problemas para alimentar os seus cinco filhos, Daniel Angel encontrou um trabalho de coveiro num cemitério, "onde sepultava os maridos e mulheres de gente muito rica", diz.

"Pedia que lhe dessem as roupas dos defuntos e começou a vendê-las", lembra. "Estamos no meio onde estavam, então, os teatros, e os atores na Inglaterra tinham que usar a sua própria roupa", continua.

"Alguém disse ao pai do meu tetravô: 'Em vez de comprarmos a roupa, podemos pedi-la emprestada?'", recorda.

"'Emprestar não faz parte do vocabulário dos Angel, então ele começou a alugá-las e foi assim que começámos".


De Lawrence da Arábia a Obi-Wan Kenobi

A empresa cresceu aproveitando a mudança do teatro para o cinema e a televisão sob a direção de sete gerações da família.

O coração da empresa está num grande armazém no bairro londrino de Hendon.

Atrás da sua fachada estão um milhão de peças de vestuário estendidas ao longo de 12,9 quilómetros, de uniformes militares, passando por armaduras e todo o tipo de figurinos históricos.

"É o paraíso, uma mina de ouro", diz Noel Sutton, figurinista. "Aqui está tudo o que alguém precisa e está bem arquivado".

Os 120 funcionários recorrem à memória e a um sistema de organização cronológica, mas acreditam que a futura instalação de uma base dados ajude no trabalho.

Entre os artigos que saíram da Angel está a roupa usada por Alec Guinness na interpretação de Obi-Wan Kenobi em "Star Wars" - vendida por uma fortuna -, e acredita-se que as roupas que Peter O'Toole usou em "Lawrence da Arábia" ainda estejam no armazém.

Guinness foi uma das muitas estrelas com roupas sob medida da Angel. Barbara Streisand, Lee Marvin, Richard Burton, Elizabeth Taylor, Joan Collins, Charlton Heston, Humphrey Bogart, John Wayne, Madonna (para "Evita") e Heath Ledger também vestiram peças feitas pela empresa.

"Quando as pessoas vêm aqui, vestem jeans e são normais", diz Angel, que admite que algumas estrelas lhe perturbaram os nervos, mas não menciona nomes.

Sobre o BAFTA, Angel diz que é uma recompensa justa para 175 anos de trabalho exigente. "Estou muito feliz", admite.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.