"Fatima" foi o surpreendente vencedor da noite dos César, atribuídos em Paris na sexta-feira à noite.

Realizado por Phillipe Faucon, ganhou o prémio de Melhor Filme e ainda os de Revelação Feminina para Zita Hanrot e Argumento Adaptado na 41ª cerimónia dos equivalentes franceses dos Óscares.

A única nomeação que não se traduziu em prémio desta "epopeia íntima de uma mulher digna", como escrevia o L`Express aquando da estreia comercial, acabou por ser a da estreante Soria Zeroual na categoria de melhor atriz.

É ela que está no centro da história que aborda as problemáticas divisões na atual sociedade francesa através das lutas, tensões e humilhações diárias vividas por uma emigrante marroquina em Lyon para sustentar as suas filhas adolescentes.

"Não consigo acreditar que estou aqui agora. Devo isto enormemente às três magníficas de 'Fatima'", declarou Phillipe Faucon durante uma cerimónia marcada pela diversidade.

O candidato ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro "Mustang", da realizadora turca Deniz Gamze Ergüven, sobre a odisseia de cinco irmãs adolescentes na Turquia, era visto como um forte candidato ao César principal, mas ficou-se pelo de Melhor Primeiro Filme e mais três prémios.

Ainda assim o grande derrotado acabou por ser "Dheepan", de Jacques Audiard, Palma de Ouro no Festival de Cannes: com nove nomeações, saiu de mãos vazias.

"Três Recordações da Minha Juventude", com 11 nomeações, ainda conseguiu garantir o César para a realização de Arnaud Desplechin, enquanto "Marguerite", de Xavier Giannoli,  com o mesmo número, ganhou quatro prémios, sobretudo em categorias técnicas.

A exceção foi a distinção de melhor atriz para Catherine Frot: o papel de uma mulher da alta sociedade com grande paixão pela música, mas que apesar de toda a alma com que canta, é terrivelmente desafinada, é a consagração para uma estrela que só ganhou um César como secundária em 1996 e já teve outras nove nomeações na sua carreira.

O grande favorito Vincent Lindon foi considerado o melhor ator com "La Loi du Marché", um filme sobre a brutalidade do mundo do trabalho, tal como já fora em Cannes, enquanto entre os secundários foram distinguidos Benoit Magimel por "La Tête Haute" e Sidse Babett Knudsen por "O Senhor Juiz".

O grande sucesso "O Principezinho" foi ainda distinguido na categoria de animação. e o César de Melhor Filme Estrangeiro ficou para o campeão dos Óscares "Birdman".

Michael Douglas foi também distinguido com um César de Honra pelo conjunto da sua carreira durante a cerimónia no Théâtre du Châtelet.

"Para mim, a França é um país extraordinário. Conheci Catherine [Zeta-Jones, a sua esposa] em Deauville [...] Estou muito feliz", declarou a estrela na passadeira vermelha.

PALMARÉS

Melhor Filme
Fatima, de Phillipe Faucon

Melhor Realização
Arnaud Desplechin (Três Recordações da Minha Juventude)

Melhor Ator
Vincent Lindon, La Loi Du Marché

Melhor Atriz
Catherine Frot (Marguerite)

Melhor Ator Secundário
Benoit Magimel (La Tête Haute)

Melhor Atriz Secundária
Sidse Babett Knudsen (O Senhor Juiz)

Melhor Revelação (Masculina)
Rod Paradot (La Tête Haute)

Melhor Revelação (Feminina)
Zita Hanrot (Fatima)

Melhor Argumento Original
Mustang

Melhor Argumento Adaptado
Fatima

Melhor Primeiro Filme
Mustang, de Deniz Gamze Erguven

Melhor Animação
O Principezinho, de Mark Osborne

Melhor Filme Estrangeiro
Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância), de Alejandro González Iñárritu

Melhor Documentário
Demain, de Cyril Dion e Mélanie Laurent

Melhor Direção Artística
Marguerite

Melhor Banda Sonora Original
Mustang

Melhor Montagem
Mustang

Melhor Fotografia
Valley Of Love

Melhor Guarda-Roupa
Marguerite

Melhor Som
Marguerite

Melhor Curta de Animação
Le Repas Dominical, de Céline Devaux

Melhor Curta-Metragem
La Contre Allée, de Cécile Ducrocq

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.