Apesar do grande público o associar mais ao papel de Harry Osborn na trilogia
«Homem-Aranha», assinada por
Sam Raimi,
James Franco, de 32 anos, já tem provado ser um dos actores mais versáteis da sua geração, com prestações intensas em dramas, comédias e até fitas de acção.

Oriundo de uma família ligada às artes, com pai de ascendência portuguesa e sueca, Franco atingiu logo notoriedade na sua primeira experiência na interpretação, como protagonista da série televisiva de curta duração
«Freaks and Geeks».

No cinema, o primeiro papel principal chegou logo no ano 2000 com a comédia
«Custe o que Custar», e o prestígio crítico conquistou-o no ano a seguir, ao interpretar James Dean num «biopic» televisivo de
Mark Rydell, que lhe valeu o Globo de Ouro.

Em 2002, James Franco aceitou o papel de Harry Osborn no «blockbuster»
«Homem-Aranha», conseguindo a partir daí aliar papéis em produções de grande porte com dramas mais independentes, com actores e realizadores de prestígio. Na mesma época contracenou com
Robert De Niro em
«A Cidade do Passado», foi dirigido por
Robert Altman em
«A Companhia» e protagonizou a estreia na realização de
Nicolas Cage,
«Sonny».

Sempre alternando com as sequelas de «Homem-Aranha», Franco protagonizou de seguida alguns filmes com fracos resultados comerciais, mas que não beliscaram a sua reputação de actor esforçado: o drama militar
«Annapolis - Paixão e Glória», a aventura aérea
«Flyboys - Nascidos para Voar» e o romance medieval
«Tristão e Isolda». Mais elogios acabou por receber pelas suas prestações nas comédias
«Um Azar do Caraças», em que tinha apenas um pequeno papel, e
«Alta Pedrada», que lhe valeu a nomeação ao Globo de Ouro.

A sua reputação de actor dramático voltou a ser reforçada pelo pequeno papel que interpretou no drama independente
«A Rapariga Morta» e, principalmente, pelo papel de namorado de Harvey Milk no oscarizado
«Milk», realizado por
Gus van Sant e protagonizado por
Sean Penn. Ao protagonizar a história quase trágica e verídica de Aron Ralston no angustiante
«127 Horas», o novo filme de
Danny Boyle, o actor conseguiu uma interpretação de tal forma espectacular que conquistou finalmente a primeira nomeação ao Óscar.

A carreira de Franco vai actualmente de vento em popa, e a sua aposta na variedade de registos parece ser completamente ganha: em 2010 interpretou Allan Ginsberg no filme independente e experimental
«Howl» e em 2011 terá o papel protagonista na prequela de
«O Planeta dos Macacos», um «blockbuster» em potência.

Homem de múltiplos talentos, James Franco publicou em 2010 um livro de contos, «Palo Alto», inspirado no local onde nasceu, e contracenará no final deste ano com
Nicole Kidman na Broadway, numa nova encenação de
«Sweet Bird of Youth», de Tennessee Williams.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.