Morreu Michael Chapman, o diretor de fotografia cujo trabalho a mostrar Nova Iorque em "Taxi Driver" (1976) lhe valeu a alcunha de "O Poeta das Ruas".

A notícia foi anunciada nas redes sociais pela esposa, a argumentista Amy Holden Jones. O falecimento aos 84 anos no domingo (20) foi falha cardíaca, avançou o seu filho Andrew Chapman.

Além de "Taxi Driver", Michael Chapman foi o diretor de fotografia de Martin Scorsese em "A Última Valsa" (1978) e "O Touro Enraivecido" (1980), tendo sido nomeado para os Óscares pelo último, e a curta-metragem "Michael Jackson: Bad" (1987).

Foi também nomeado para as estatuetas por "O Fugitivo" (1993), com Harrison Ford.

Operador de câmara em filmes como "O Senhorio" (1970), "Maridos" (1970), "Klute" (1971), "O Padrinho" (1972) e "Tubarão" (1975), estreou-se como diretor de fotografia com "O Último Dever" (1973).

"Fingers" (1976), "A Invasão dos Violadores" (1978), "Os Vagabundos de Nova-York" (1979), "A Rapariga na Zona Quente" (1979), "O Preço da Vitória" (1982), "Os Rapazes da Noite" (1987), "Sol Nascente" (1993) e "A Raiz do Medo" (1996) são outros trabalhos relevantes, mas também existiram filmes mais ligeiros, como "Cliente Morto Não Paga a Conta" (1982), "O Homem dos Dois Cérebros" (1983), "SOS Fantasmas" (1988), "Os Caça-Fantasmas II" (1988), "Um Polícia no Jardim-Escola" (1990) e "Space Jam" (1996).

O seu último trabalho foi o filme de fantasia "O Segredo de Terabítia" (2007).

Realizou ainda três filmes, embora apenas seja de destacar o primeiro, "A Glória de Um Herói" (1983), com um muito jovem Tom Cruise.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.