Ellen DeGeneres está a ser acusada nas redes sociais de usar o seu programa e estatuto para defender Kevin Hart, que desistiu de ser o anfitrião dos Óscares por causa da polémica e comentários homofóbicos antigos.

O tema foi abordado numa entrevista gravada na quinta-feira e cuja transmissão foi antecipada de segunda para esta sexta pelos produtores do "talk-show" por causa da sua relevância.

Durante a entrevista, Kevin Hart recordou a polémica que começou algumas horas após ter sido anunciado que ia concretizar o sonho de ser o anfitrião da cerimónia, reforçando que os comentários antigos eram piadas de "comediante imaturo" estúpidas e erradas, pelo que já as tinha abandonado.

Depois de toda a polémica, Kevin Hart "pondera" voltar ao cargo de anfitrião dos Óscares
Depois de toda a polémica, Kevin Hart "pondera" voltar ao cargo de anfitrião dos Óscares
Ver artigo

Quando a Academia lhe apresentou o ultimato de pedir desculpa ou perder o trabalho, acrescentou, sentiu que devia fazê-lo mas também afastar-se para não ofuscar os vencedores na noite dos Óscares.

No entanto, o ator abriu a porta para mudar de ideias quando Ellen DeGeneres, que esteve duas vezes à frente da cerimónia, revelou que tinha contactado a Academia e esta mostrara grande disponibilidade para ele voltar ao cargo.

Acrescentou também que não devia deixar ganhar os que o arrasaram e a melhor reação era ignorar os ataques "online", descrevendo-os como sendo de "um pequeno grupo de pessoas que são muito, muito barulhentas. Nós somos um grande grupo de pessoas que gostamos de ti e queremos que sejas o anfitrião dos Óscares".

Várias pessoas acharam que a apresentadora, assumidamente lésbica, optou por passar ao lado dos comentários que originaram a controvérsia e defender a autenticidade da entrevista para reforçar o apoio nas redes sociais, dizendo que acreditava em "perdão" e "segundas oportunidades".

"Acho adorável que a Ellen tenha decidido por toda a comunidade LGBT que na verdade aceitamos bem o que o Kevin Hart disse porque ela o conhece pessoalmente e ele é simpático", ironizou um internauta.

Houve quem defendesse ainda que Ellen se aproveitou do programa e do estatuto na comunidade para desvalorizar a situação e as pessoas que criticaram os comentários.

"Ellen, isto é tão desencorajador. Tanto como antigo convidado no seu programa e homosseuxal negro, reduzir os críticos do Kevin a meros 'pessoas que odeiam' é desdenhoso e prejudicial".

"Essencialmente, o programa da Ellen é a personificação das políticas de respeitabilidade, pelo que usá-lo como uma plataforma para absolver Kevin Hart em nosso nome está de acordo com a marca. A sua série de comédia ["Ellen", transmitida entre 1994 e 1998, onde assumiu a homossexualidade] permitiu-lhe fazer algo radical, pelo qual ela foi prejudicada, e desde então tem fugido disso".


"A Ellen dando a homofóbicos a oportunidade de dizer 'mas a Ellen disse que está bem' é uma gigantesca traição. Não quero saber quantas séries de comédia perdeste nos anos 90".

"As pessoas que destacaram os comentários antigos do Kevin Hart — como eu — não são, como a Ellen as descreveu, 'pessoas que odeiam'. O anfitrião dos Óscares tinha feito comentários anti-gay e a comunidade LGBT que adora os Óscares estava legitimamente assustada por ver como as suas palavras eram chocantes. Não era uma canalha a querer tramar o Kevin Hart. Era um grupo de pessoas que queriam perceber o pensamento dele sobre estas mensagens dolorosas e as suas piadas nos espetáculos de comédia".

O tom e explicações de Kevin Hart também mereceram críticas.

"Eu também acredito em perdoar. Mas também que perdoar precisa de um pedido de desculpas a sério. Não um 'peço desculpa pelas pessoas serem tão sensíveis'. Apenas 'peço desculpa'. Era tudo o que tinha de fazer. E ele recusou indignado porque sentiu que o seu momento estava a ser estragado. Que era ele o prejudicado".

"A tese do Kevin Hart neste entrevista com a Ellen é ‘as pessoas arruinaram a minha diversão e fiquei zangado porque as pessoas arruinaram a minha diversão e podia ter-me portado melhor, mas as pessoas estragaram A MINHA DIVERSÃO num dia que deveria ser só sobre mim. E esta é a versão do Kevin Hart com MATURIDADE".

“Quando já não se é homofóbico, acho que não se devia importar de pedir desculpa pela sua antiga homofobia de novo e de novo e de novo. Não quero ouvir recontar de forma hostil como nós não percebemos o teu escasso pedido de desculpas da primeira vez".

"A única coisa que o Kevin Hart demonstrou indo ao programa é que é um péssimo ator sem qualquer remorso genuíno que não teve a decência de abordar a sua ignorância. Não, não eram 'pessoas que odeiam' que te andaram a perseguir. Era a comunidade LGBTQI+ porque estamos mais do que cansados disso".


"Esta coisa toda da
Ellen/Kevin Hart é um exemplo perfeito de como os privilégios e os elogios constantes distorcem tanto a noção de realidade de uma pessoa que acham que qualquer crítica, ainda que válida, é um ataque a toda a sua subsistência".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.