Uma canção inédita dos Beatles, "Now and Then", misturada e masterizada graças às novas tecnologias, será lançada esta quinta-feira, dia 2 de novembro, mais de 53 anos depois da separação do quarteto.

Antes de revelaram o tema, Paul McCartney e Ringo Starr, os dois membros vivos do lendário grupo britânico, lançaram um minidocumentário sobre a história da canção.

O filme de 12 minutos foi realizado por Oliver Murray e pode ser visto no Youtube - ver aqui.

"Este último tema dos Beatles foi escrito e cantado por John Lennon; desenvolvido e trabalhado por Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr; e concluído por eles nos últimos dois anos, mais de quatro décadas depois", resume a apresentação do tema.

A canção foi desenvolvida a partir de uma demo gravada por John Lennon no seu apartamento em Nova Iorque nos anos 1970. Após a sua morte em 1980, a sua viúva, Yoko Ono, entregou o material aos membros da banda em 1994.

O trio então reformulou e completou o material, mas não conseguiu lançar a canção. A tecnologia disponível até então não permitiu extrair a voz de Lennon com qualidade suficiente.

BEATLES

"Comovente"

O cenário mudou e agora foi possível, com a colaboração do realizador Peter Jackson, que comandou a produção da série documental "The Beatles: Get Back".

O cineasta da trilogia "O Senhor dos Anéis" extraiu a voz de Lennon de uma cassete, separando-a do piano com a ajuda da Inteligência Artificial.

"Descobrimos que a voz de John era clara como um cristal", disse Paul McCartney. "É muito comovente, e todos nós tocamos, é uma verdadeira gravação dos Beatles", acrescentou o músico, de 81 anos.

A demo original também contou com a adição de gravações de guitarra elétrica de George Harrison, de 1995, seis anos antes da sua morte. A canção foi concluída no ano passado no Los Angeles Studios, com a bateria de Starr, e o piano e baixo de McCartney, além de vozes de ambos os Beatles.

"Foi muito emocionante para todos. É como se John estivesse entre nós", contou Ringo Starr, de 83 anos.

Em abril de 1970, seis meses após o lançamento do álbum "Abbey Road" e um antes de "Let It Be", os Beatles anunciaram a sua separação. Os dez anos de convivência de Paul McCartney, John Lennon, George Harrison e Ringo Starr materializaram-se em 14 discos, verdadeiros sucessos, com inúmeros LPs vendidos e a produção de vários filmes.

Apesar da morte de Lennon em 1980, e de Harrison, em 2001, a "Beatlemania" continua viva no mundo, e as possibilidades de ofertas por parte da Inteligência Artificial têm alimentado as tentativas dos seus fãs de reuni-los.

1. Paul McCartney e Nancy Shevell: 923 milhões de euros

McCartney antecipou a novidade

Paul McCartney já havia anunciado em junho, na BBC, a preparação desta canção inédita.

"Conseguimos fazer o que seria a última gravação dos Beatles. Era uma demo do John, a partir da qual trabalhámos”, afirmou o artista na altura.

Face às dúvidas suscitadas por este anúncio, Paul McCartney esclareceu que "nada foi criado artificial, ou sinteticamente. Tudo é verdade. Limpámos algumas gravações".

O ex-Beatle não tinha dado um nome à canção, mas tudo indicava que se tratava de "Now and Then".

A existência da demo era conhecida e Paul McCartney não escondeu o seu desejo de dar nova vida ao tema. O músico sempre explicou, no entanto, que o projeto nunca se concretizou devido à oposição de George Harrison, que não gostava de abordar o assunto.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.