Geoff Barrow, dos Portishead,afirmou recentemente numa entrevista que nunca foi fã de Amy Winehouse e que o seu problema com as drogas fez com que as pessoas parassem de criticar a sua música tanto quanto deviam.

As declarações de Barrow surgiram durante uma entrevista concedidaà “ElectronicBeats.net”. O músico afirmou que a maioria dos artistas comerciais “têm a mesma voz”: “Tanto Bjork como Polly Harvey alteraram as suas vozes, mas continuam a ser eles próprias. Estranhamente, acho que a Adele canta na sua própria voz, acho que é ela a tentar ser uma grande voz e isso é ela. Eu penso que Whitney Shithouse - Amy Winehouse- no final acabou por se tornar numa caricatura cómica de si própria e de como cantava”.

Barrow revelouainda queuma vez assistiu a um concerto de Winehouse: “Eu vi-a com uma guitarra elétrica num pequeno bar em Bristol e as pessoas estavam tipo: ‘isto é fantástico’, mas não assim tanto. Depois ela teve o grande problema com as drogas e todos os tabloides envolveram-se e começou a ser uma Minnie Ripperton, ou lá o que era. Parecia falso, mas porque existia um problema enorme com drogas, não se pode dizer que era falso, mas a sua voz na realidade era falsa. Ela teve uma vida real com uma voz falsa. Quando os Portishead começaram, Beth [Gibbons, vocalista] era muito influenciada por Janis Joplin. Ela cantava na sua própria voz mas baseando-se nos cantores que ela gostava”.

Paulo Costa

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.