Os vencedores serão conhecidos a 4 de fevereiro, numa cerimónia que irá decorrer na Crypto.com Arena, em Los Angeles.

A portuguesa Maria Mendes, juntamente com John Beasley, está nomeada para um Grammy. A dupla está na corrida ao Grammy de Melhor Arranjo, Instrumentos e Voz com uma versão da música "Com Que Voz". O tema faz parte do último álbum da artista, "Saudade, Color of Love".

Na edição de 2021, a cantora esteve pelos nomeada pelos arranjos do tema "Asas Fechadas", coassinados com o pianista John Beasley. Nesse ano, o galardão foi entregue a Jacob Collier (com Rapsody), por "He Won't Hold You".

A cantora de jazz Maria Mendes está também na corrida aos Grammys Latinos 2023, na categoria de “Melhor Arranjo”, também com uma versão da música “Com que Voz”, retirada do álbum ao vivo “Saudade, Colour of Love”, de 2022.

"Que honra e felicidade receber mais uma nomeação ao Grammy Americano! Ainda mais especial vivenciar estas notícias em Sevilha, onde me encontro para celebrar a minha música e nomeação ao Grammy Latino na cerimónia de entrega dos prémios a acontecer já em poucos dias", frisa a cantora em comunicado.

"Continuo ainda em êxtase com este trabalho musical e equipa que abraçou este meu projecto e visão musical de explorar e interpretar o Fado ao jeito Jazz, enaltecendo todas as minhas particularidades que tanto em palco como em discos primo para que sejam pertinentes: as sonoridades apaixonantes, aventureiras e surpreendentes que envolvam o ouvinte numa aventura musical sem barreiras estilísticas", acrescenta.

Em comunicado, Maria Mendes sublinha que é "tão recompensador sentir que a comunidade artística musical valoriza e confia no que transmito com a minha música". "Esta é uma indicação que recebo em meu nome e que partilho com imensa gratidão com cada um destes 30 músicos - a minha banda, o meu produtor, orquestrador e co-arranjador John Beasley e a soberba Metropole Orkest", sublinha.

"Sempre soube que o 'Com que Voz' era 'aquela' canção especial, um género de portal dimensional para algo inovador e belo! São emocionantes, a poesia existencialista de Camoes e as harmonias e melodias de Alain Oulman! Há canções que dialogam connosco no momento de as trabalhar em arranjos musicais. E esta foi uma delas, de uma fluidez sublime chegar a este resultado final onde a orquestra, a voz, a poesia, a banda, todos nós brilhamos", confessa a artista.

Na nota enviada ao SAPO Mag, a cantora frisa que "é uma inspiração estar lado a lado com compositores colegas que tanto admiro, nesta categoria". 2Um motivo de orgulho de esta ser a única canção cantada em Português! E uma alegria partilhar esta indicação com o John Beasley, com quem divido a autoria deste arranjo musical gravado no meu ainda novo e ultimo trabalho 'Saudade, Colour of Love'", remata.

De acordo com o agenciamento da artista, em “Saudade, Colour of Love” (Challenge Records), Maria Mendes “traz a sua mistura espirituosa de jazz sinfónico e fado ao palco do concerto com John Beasley e o Metropole Orkest”, apresentando novos arranjos orquestrais de canções do seu álbum "Close to Me", de 2019.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.