Tom Sizemore foi detido na manhã de terça-feira em Los Angeles por suspeita de violência doméstica, confirmou a polícia.

Não se conhecem mais detalhes sobre a vítima ou a gravidade do crime. O valor da fiança é de 50 mil dólares, aproximadamente 45,4 mil euros.

Não é a primeira vez que o actor enfrenta a acusação: em 2003, já fora condenado por bater numa antiga namorada, Heidi Fleiss, que ficou famosa nos anos 1990 por liderar uma rede de prostituição de luxo, e conseguiu evitar julgamento pela mesmo crime contra outra mulher.

Com 54 anos, Tom Sizemore começou no cinema com pequenas participações em "Aço Azul" (1989) e "Ruptura Explosiva", ambos de Kathryn Bigelow, e rapidamente ganhou visibilidade em papéis de duros em filmes como "Assassinos Natos" (1994), "Estranhos Prazeres" (1995, novamente de Bigelow), "Um Demónio Vestido de Azul" (1995) e "Heat - Cidade Sob Pressão" (1995).

Dois aclamados papéis de militares em "O Resgate do Soldado Ryan" (1998), às ordens de Steven Spielberg, e "Cercados", de Ridley Scott (2001), tornaram-no um secundário com brilho de estrela, mas pouco depois surgiram problemas de dependência de substâncias.

Primeiro o álcool, depois a cocaína e a heroína, ajudaram a arrasar a carreira e as dívidas deixaram-no sem casa. Chegou a estar preso entre agosto de 2007 e janeiro de 2009 e tentou o suicídio.

Recentemente, conseguiu um papel secundário numa série chamada "Shooter", uma adaptação do livro e do filme "O Atirador" (2007), sobre um atirador de elite (Ryan Phillippe) arrastado para uma conspiração para assassinar o presidente dos Estados Unidos.

A estreia foi adiada após as mortes recentes de polícias naquele país, mas a 6 de julho Sizemore foi notícia por atropelar um duplo durante a rodagem.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.