O júri do Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB (Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas), composto por José Manuel de Vasconcelos, Clara Rocha, Cristina Robalo Cordeiro, Fernando Pinto do Amaral, Maria de Lurdes Sampaio e Salvato Teles de Menezes, reuniu-se na terça-feira para analisar várias obras a concurso.

Da avaliação feita pelo júri resultou uma lista de cinco obras finalistas: “Luanda, Lisboa, Paraíso”, de Djaimilia Pereira de Almeida, “Um Bailarino na Batalha”, de Hélia Correia, “Ecologia”, de Joana Bértholo, “Um Muro no Meio do Caminho”, de Julieta Monginho, e “O Invisível”, de Rui Laje.

O Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB, no valor de 15 mil euros, é um prémio literário atribuído pela APE desde 1982, com o objetivo de consagrar uma obra de ficção de autor português, publicada no ano anterior à atribuição do prémio.

No ano passado o romance vencedor foi “As Pessoas do Drama”, de H.G. Cancela, autor que já antes fora finalista do Grande Prémio da APE com o seu terceiro romance, "Impunidade", de 2014.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.