Novas acusações de comportamento impróprio e assédio sexual foram proferidas esta quinta-feira contra o ator americano James Franco, com o jornal Los Angeles Times publicando depoimentos de cinco mulheres.

O ator, de 39 anos, e seu advogado negaram todas as acusações.

Quatro ex-estudantes da escola de atores criada por James Franco, Studio 4, afirmaram que se sentiram incomodadas com o seu comportamento, especialmente durante cenas de nudez.

A quinta mulher, Violet Paley, agora com 23 anos, disse que se sentiu obrigada a fazer sexo oral ao ator quando os dois mantinham uma relação.

A aparição de James Franco na cerimónia dos Globos de Ouro, no domingo passado, quando usou um pin de apoio ao movimento Time's Up para defender as vítimas de abuso sexual no trabalho, parece ter originado a série de acusações.

O ator recebeu o Globo de Ouro de melhor ator pela comédia "Um Desastre de Artista", que ele mesmo realizou e pode chegar aos Óscares.

"Senti que houve um abuso de poder e existiu uma cultura de explorar mulheres que não eram estrelas e uma cultura de mulheres serem subsituíveis", disse ao LA Times Sarah Tither-Kaplan, ex-aluna do Studio 4. Na noite do Globo de Ouro a mulher publicou no Twitter que se sentiu "explorada" por filmar cenas de nudez recebendo 100 dólares por dia.

No seu depoimento ao jornal, a ex-aluna conta como ela e outras mulheres que participavam de uma cena nuas tiveram as suas faixas de plástico que cobriam as partes íntimas retiradas quando simulavam cenas de sexo oral.

Outras duas ex-alunas, Hilary Dusome e Natalie Chmiel, revelaram como o ator pediu para que retirassem as faixas de plástico da parte de cima durante uma rodagem num clube de strip-tease, e que, perante a reposta negativa, abandonou o set furioso.

Katie Ryan revelou ao jornal que James Franco "sempre indicava que todas poderiam ter oportunidades de papéis se estivessem dispostas a praticar atos sexuais e tirar a roupa".

Violet Paley, uma jovem aspirante a realizadora, revelou que estava num automóvel quando foi pressionada a fazer sexo oral em James Franco.

"Fiquei stressada e disse-lhe: 'Podemos fazer isto mais tarde?' Mas ele empurrou a minha cabeça e como não queria que ele me odiasse, simplesmente fiz aquilo".

Paley destacou que conversou com James Franco após a explosão do caso Harvey Weinstein, em outubro passado, e que o ator reconheceu ter agido incorretamente ao envolver-se "com alguém que estava em plena desintoxicação", mas declarou não ter feito qualquer coisa ilegal.

Convidado por vários programas de televisão de grande audiência desde o início da semana após receber o Globo de Ouro e em plena campanha dos Óscares, James Franco defendeu-se afirmando que "o que leu nas redes sociais não era exato".

Um comunicado emitido pela advogada destaca que as suas diretoras de 'casting' do filme "The Long Home", que será lançado este ano, jamais receberam queixas das atrizes.

"James faz tudo para ajudar jovens atores, atrizes e realizadores a entrar neste setor", concluiu.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.