Nas redes sociais, Justin Timberlake partilhou uma selfie junto a uma secção de voto no Tennessee, nos Estados Unidos. O objetivo do cantor era incentivar todos os fãs norte-americanos a participar nas eleições do próximo dia 8 de novembro.  "Sem desculpas, boas pessoas. Também pode haver votação antecipada na sua cidade. Se não, dia 8 de novembro. Escolha ter uma voz", escreveu o músico na legenda da fotografia partilhada no Instagram.

Mas segundo as regras eleitorais, não é permitido tirar fotografias junto das urnas. À  Associated Press, Adam Ghassemi, porta-voz do secretário de Estado do Tennessee, disse que o governo local está "feliz" e que Timberlake "não podia deixar esse sentimento de lado" - uma referência ao tema do filme "Trolls",  "Can't Stop The Feeling". Porém, o porta-voz alertou que era ilegal tirar selfies junto às urnas de voto.

A lei do Estado norte-americano frisa que não é permitido tirar fotografias ou gravar vídeos nas secções de voto. Segundo o The Guardian, o artigo aprovado pelo governador Bill Haslam, em 2015, impede ainda os elitores de fazerem chamadas telefónicas.

Para Shelby County, procurador do Tennessee, Justin Timberlake violou a lei eleitoral, podendo a pena ir de uma multa de 50 dólares a 30 dias de prisão.

Depois de ser informado sobre a lei do Estado norte-americano, o músico apagou a selfie das duas redes sociais.

Timberlake partilha selfie a votar e é investigado pelas autoridades

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.