Uma área bucólica belíssima, com diversos pontos de recolha de lixo para reciclagem, foi a aposta certa para preparar um ambiente de campismo familiar aos headbangers (que vieram de diversas partes da Europa, entre tantas outras regiões pelo mundo fora) de 7 a 10 de agosto.

Logo no primeiro dia acedemos à área de campismo enquanto caminhávamos ao lado de turistas que estavam ansiosos por montarem as suas tendas numa reserva natural de venustidade ímpar. Havia uma rapariga ao nosso lado, e, enquanto descíamos a colina, notámos que o inglês que falava tinha sotaque americano. Perguntámos e ela confirmou ser de Denver, além de ter acrescentado que estava de férias em Lisboa quando soube do festival por um amigo e decidiu comparecer, já que é grande fã dos Jinjer e a data veio a calhar.

Apesar de o grupo principal da primeira noite ter sido Candlemass, quem dominou a atuação foi, definitivamente, a vocalista dos Jinjer, Tatiana Shmaylyu. Com o seu carisma e linhas guturais impressionantes, com um canto de nuances fenomenais, a ucraniana liderou o público para uma grandiosa festa da música pesada, sem que a atuação perdesse intensidade, mesmo com chuva.

Mais cedo os Process of Guilt, que são prata da casa, compungiram todos com seus temas bem elaborados e executados ao vivo com maestria. Os Equaleft também não se deixaram abalar pela forte tempestade, encerrando a noite em grande.

O encerramento deste primeiro dia, como era de se esperar, valeu pela tecnicidade dos suecos de malhas doom, os inconfundíveis Candlemass.

Nos três dias seguintes percorremos mais as áreas disponibilizadas aos festivaleiros, acompanhámos o serviço de Kaiak, churrasqueiras, duches à beira do rio Boco e opções gastronómicas do recinto. Falámos também com uma família alemã durante o caminho: o casal e os seus dois filhos estavam entusiasmados com a atmosfera pacífica deste pedacinho lusitano tão especial.

Bandas como Death Angel, Vltimas, Six Feet Under, Necrophobic, Primal Fear, Satyricon, Alestorm e Iron Reagan foram, da mesma maneira, grandes destaques, embora quem tenha mesmo atingido o maior nível de interação com a plateia tenha sido o grupo britânico de maior nome no mundo do grindcore: Napalm Death. A atuação foi como uma elevação da mente vinda da clareza nas palavras de Barney Greenway, que muito provavelmente será uma das maiores figuras da música extrema atual.

Que venham mais 1000 edições como esta. Vagos é aqui.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.