A SIC Notícias vai acabar com os programas de desporto "Play Off" e "O Dia Seguinte", que assentam em comentadores que representam clubes de futebol, devido à "toxicidade" criado à volta deste género, disse à Lusa na segunda-feira o diretor de informação da Impresa, Ricardo Costa.

O canal do grupo Impresa é o primeiro a decidir descontinuar este tipo de programas.

A TVI, que tem programas como "Livre e Direto" e o "Prolongamento", refere que tem a "decisão tomada há várias semanas e será oficialmente comunicada após o fim da época", que termina no próximo sábado com a final da Taça.

Fonte oficial da estação de Queluz recorda que tem "uma boa tradição de programas com outro registo, como o 'Mais Futebol'" e também "criou formatos como o 'Mais Transferências' ou o 'Mais Bastidores' que são hoje replicados em todo o mercado".

Adianta ainda que a nova equipa da direção de informação, liderada por Anselmo Crespo, que "começa formalmente a trabalhar a 1 de setembro, está a definir a oferta a partir da época 20/21".

Questionada sobre a decisão da SIC Notícias, a RTP diz que não tem "representantes dos clubes". "Sempre fomos nós a escolher os comentadores que entendemos adequados ao serviço público que prestamos", afirma a direção de informação da estação pública.

"Todas as estações preparam, por esta altura, as suas ofertas para a próxima temporada" e "identificarão os seus problemas, os seus interesses e responderão em conformidade", prossegue a RTP, que recorda que "há muito se decidiu terminar alguns formatos ligados ao futebol".

"Felizmente, não temos programas ruidosos e comprometidos nem comentadores 'tóxicos'. O que não impede alterações, mantendo o debate, o pluralismo e a civilidade, marcas de serviço público, que devemos honrar", refere a direção de informação da RTP.

"Não apostamos nem apostaremos em programas de diatribes, rumores ou insinuações", assegura.

Desde 2004, a RTP tem o programa "Trio D'Ataque", por onde passaram personalidades diversas da sociedade portuguesa e desde 2012 tem no ar a "Grande Área", com conhecidos treinadores e ex-jogadores.

Desde há cinco anos, conta ainda com o programa "Grandiosa Enciclopédia do Ludopédio", que é "centrado nas grandes memórias do futebol português, recorrendo aos mais de 60 anos do arquivo RTP e a protagonistas que revivem esses momentos com um jornalista e um sociólogo do futebol".

A direção de informação da RTP salienta que trata o desporto e o futebol como outros domínios da vida pública.

"Gostamos de debate plural. Estamos atentos aos sinais da sociedade portuguesa, particularmente agora que atravessamos uma circunstância histórica única. Por isso, trabalhamos na renovação dos nossos formatos à luz dos valores do serviço público", remata a RTP.

Questionada também sobre o tema, fonte oficial da CMTV, do grupo Cofina, destaca que o canal "preza o debate, a democracia e o contraditório, seja no desporto, seja na política ou nas outras áreas da sociedade", considerando que "os seus programas de debate permitem a troca de ideias e de perspectivas diferenciadas" e que "promove esses debates com sucesso, tendo em conta a liderança clara de audiências, com frontalidade e não enganando o espetador".

"Os nossos espectadores sabem que os nossos comentadores se identificam com determinado clube, sabem que o seu olhar é o de adepto desse clube, numa dialética onde a síntese cabe ao espectador", afirmou fonte oficial à Lusa.

Fonte oficial da CMTV defendeu "ser mais saudável esta opção do que colocar jornalistas a debater temas em que, porventura, o espectador não tenha todo o conhecimento de que necessita para poder interpretar o que fica por de trás dos comentários".

Numa alusão à decisão anunciada pela SIC Notícias, fonte oficial do canal do grupo Cofina respondeu que "também a CMTV descontinuaria programas que continuadamente perdessem o seu horário", apontando que "os programas agora descontinuados registavam performances abaixo de 50% da conseguida pela CMTV com os seus formatos concorrentes".

Contactada pela Lusa, fonte oficial da Sport TV disse que o canal tem dois programas - “Titulares” e “Aposta Tripla” - com adeptos dos ‘três grandes’, mas não representantes dos clubes.

“Ambos os programas têm como principal objetivo falar de futebol e fomentar o interesse na competição” e “não alimentar polémicas”.

O “Titulares” está no ar desde agosto de 2016 e o “Aposta Tripla” desde março de 2017.

“O programa ‘Titulares’ vai ser interrompido apenas durante o defeso” e o “’Aposta Tripla’ mantém-se, sem interrupções”, adianta.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.