"Blade Runner", o filme de Ridley Scott, rodado em 1982, com a ação centrada em novembro de 2019, é um dos filmes a exibir em Óbidos.

"A Ilha dos Escravos”, um drama produzido em 2008 com direção de Francisco Manso, é hoje projetado na casa José Saramago, em Óbidos, marcando o arranque de um conjunto de seis filmes apresentados pela exposição “Império do Medo”.

Inspirado no romance "O Escravo", escrito em 1856 por José Evaristo de Almeida, um português desterrado em Cabo Verde, o filme aborda, tal como a exposição, a temática da escravatura.

Na programação de filmes associados à exposição segue-se, no sábado, “Nosferatu, 1922”, realizado por Friedrich Wilhelm Murnau, uma obra da história do cinema, que evoca o Conde Orlok, vampiro dos Montes Cárpatos.

Na segunda-feira, a mostra regressa à temática da escravatura com “Quilombo,”, realizado em 1986 por Cacá Diegues, comentado em Óbidos por Beatriz Gomes Dias.

“Tula, a Revolta”, realizado em 2013 por Jeroen Leinders, pode ser visto na terça-feira, numa sessão que contará com comentários da historiadora, investigadora e ativista Joacine Katar Moreira, eleita deputada nas últimas eleições legislativas.

Da história do escravo que revolucionou a ilha de Curaçao, no mar das Caraíbas, passa-se, na quinta-feira, para a de Nat Turner, escravo que em 1831 liderou o movimento para a libertação de afro-americanos na Virgínia, nos Estados Unidos da América.

“O nascimento de uma nação”, de Nate Parker, será comentado por Rui Tavares.

O ciclo proposto pela exposição termina no sábado, dia 19, com “The Mummy”, de Karl Freund, realizado em 1932, outro histórico do cinema, pioneiro do terror.

Em temáticas mais atuais, o Folio Autores mostra hoje “Blade Runner”, um filme de ficção científica que se passa em novembro de 2019, no cenário de uma Los Angeles apocalíptica, que também levanta questões de servos e senhores. O filme será apresentado no auditorio da Casa da Música, por Rui Tendinha.

A Fundação Inatel, responsável pela programação da Folia, apresenta no domingo (dia 13) “O Homem PiKante: Diálogos com Alberto Pimenta”, de Edgar Pêra.

Por último, a Fundação Saramago projeta no dia 17 “O ano da Morte de Ricardo Reis”, numa sessão que contará com João Botelho e Pilar Del Rio e, no dia seguinte, o documentário “Eduardo Galeano Vagamundo”, de Felipe Nepomuceno.

O Folio – Festival Literário Internacional de Óbidos decorre na vila até ao próximo dia 20, com mais de 210 iniciativas em 450 horas de programação, em torno da literatura.

Sob o tema “O Tempo e o Medo” mais de meio milhar de convidados de quatro continentes participam em 16 mesas de escritores, 12 exposições e 13 concertos que integram a programação.

Organizado em cinco capítulos (Autores, Folia, Educa, Ilustra e Folio Mais) o festival teve a sua primeira edição em 2015, num investimento de meio milhão de euros, comparticipados por fundos comunitários, sendo desde então custeado pela autarquia e por parceiros institucionais.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.