Está em preparação um sexto "Die Hard" e o plano é regressar às origens e mostrar a juventude de venerado polícia John McClane.

O estúdio 20th Century Fox está a negociar com Len Wiseman, que fez "Die Hard 4.0 - Viver ou Morrer" (2007), para que  este regresse para o que seria uma prequela com um novo ator como McClane em Nova Iorque no ano de 1979, antes de se tornar o "duro" que conhecemos dos cinco filmes já feitos.

Isto não significa necessariamente que a saga vá abdicar de Bruce Willis, que se tornou uma estrela precisamente com o primeiro filme, "Assalto ao Arranha-Céus" (1988), se a história for intercalada com a nossa atualidade.

Sabe-se que o ator tem sido mantido informado de todas as etapas e apesar de não ter nenhum contrato assinado, mantém uma boa relação tanto com Wiseman como com o produtor deste novo projeto, Lorenzo di Bonaventura, com quem fez "Red: Perigosos" (2010-12) e "G.I. Joe: Retaliação" (2013).

"Die Hard 4.0" foi um sucesso comercial, mas o quinto filme, "Die Hard: Nunca é Bom Dia para Morrer" (2013), por pouco não teve prejuízo e foram as receitas internacionais que compensaram o fracasso comercial nos EUA. No entanto, o estúdio está confiante que vai conseguir dar nova vida a uma das maiores personagens reveladas pelo cinema nos últimos 30 anos.

Os filmes de Bruce Willis.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.