Para surpresa de absolutamente ninguém, Frances McDormand ganhou o Óscar de Melhor Atriz por "Três Cartazes à Beira da Estrada".

É a segunda estatueta da carreira e vai fazer companhia à que "Fargo", que recebeu há 21 anos.

A atriz revelou que estava a "hiper-ventilar" porque tinha "algo a dizer", começando por agradecer ao realizador e argumentista: Olha para o que fizeste. Somos um grupo de hooligans e anarquistas, mas saímo-nos bem".

Seguiram-se os tradicionais agradecimentos aos colegas e à família (o "clã"), antes de surpreender com o pedido para que todas as mulheres nomeadas se levantassem na plateia.

Perante o insólito, virou-se para a única vencedora de três Óscares e nomeada 21 vezes: "Meryl [Streep], se o fizeres, todas as outras o farão, vá lá".

Já com todas de pé, acrescentou: "Olhem à volta, senhoras e senhores,  porque todas nós temos histórias para contar e projetos que precisamos financiar. Não falem connosco sobre eles nas festas esta noite, convidem-nos para os vossos escritórios daqui a dois dias, ou podem vir aos nossos, o que vos der mais jeito, e contamo-vos tudo sobre eles. "

E concluiu: "Tenho duas palavras para vos deixar esta noite, senhoras e senhores: 'Inclusion rider'".

Esta é uma referência à crença que alguns partilham de que deviam existir disposições nos contratos para permitir diversidade racial e de género e que alguns atores colocam nos contratos para o garantir nas rodagens dos filmes em que estão envolvidos.

Veja o momento.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.