Jan Willem Jansen, que foi diretor do Festival Toulouse les Orgues abre o recital com peças de Gaspard Corrette (1670/71-1733) - “Messe du 8.e ton”, “Fond d’orgue”, “Dialogue de voix humaine”, “Dessus de tierce par accords”, “Cromhorne en taille” e “Plein jeu à deux choeurs” – e prossegue com Michel Corrette (1709-1795), de quem interpreta o Concerto I, em Sol Maior.

O recital é, de seguida, dedicado à família Bach, com Johann Sebastian Bach (1685-1750), de quem interpreta as Fantasias em Dó maior (BWV 570 e BWV 952) e, ainda, a Fantasia 'con imitazione' (BWV 563), Wilhelm Friedemann Bach (1710-1784) - Fuga em sol menor -, Carl Philipp Emanuel Bach (1714-1788) - Sonata em sol menor -, encerrando com Variações sobre “Ah, vous dirai-je maman”, de Johann Christoph Friedrich Bach (1732-1795).

Jan Willem Jansen estudou com Jan Warmick, Willem Mesdag e Wim van Beek, e obteve, em 1977, o diploma de solista do Real Conservatório de Haia.

Posteriormente estudou cravo com Ton Koopman, em Amesterdão, tendo prosseguido os estudos em França, com Xavier Darasse, de quem foi colaborador pedagógico no Conservatório de Toulouse, onde, atualmente, ensina órgão e cravo.

Cofundador do Departamento de Música Antiga daquele estabelecimento de ensino artístico, partilha, com Michel Bouvard, a direção do departamento superior Órgãos e Cravos.

Como intérprete, segundo a organização, tem tocado com os mais importantes ensembles barrocos europeus, nomeadamente La Chapelle Royale de Paris, o Collegium Vocale de Gent, Hèsperion XX e XXI, Les Sacqueboutiers de Toulouse e o Ensemble Baroque de Limoges.

Willem Jansen é organista titular do Órgão Ahrend, do Musée des Augustins, em Toulouse, assim como do órgão histórico da Basílica de Notre-Dame de la Daurade, na mesma cidade do sudoeste de França.

O VI Ciclo do Órgão Histórico da Igreja de São Vicente de Fora, em Lisboa, foi inaugurado no passado dia 06 de abril, com Rui Soares, organista na igreja de N.S. da Conceição, no Porto, responsável pelos concertos diários na igreja dos Clérigos, também nesta cidade.

Ao longo deste ciclo, que termina em dezembro, já tocaram, em maio, a classe de órgão da Escola Superior de Música de Lisboa, e, em junho, Hans-Ola Ericsson, membro, desde 2000, da Real Academia Sueca de Música.

Com uma pausa em agosto, o ciclo será retomado em setembro, no dia 10, com Elisa Freixo, seguindo-se, em outubro, no dia 8, Elmo Cosnentini e, no dia 12 de novembro, André Ferreira.

O ciclo encerra no dia 10 de dezembro, com o organista titular de S. Vicente, João Vaz, acompanhado pelo Coro de Câmara da Escola de Música Vitorino Matono, sob a direção de Diogo Rato Pombo.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.