O programa do festival, hoje anunciado em conferência de imprensa em Sintra, vai reunir vários dos principais nomes do flamenco atual, como o Josémi Carmona Trio com Pepe Habichuela, o bailarino Farruquito, para além de contar com as atuações da húngara Mónika Lakatos, a primeira artista cigana a receber o prémio Womex, do português Ricardo Ribeiro, dos romenos Taraf de Caliu (nova formação dos fundadores de Taraf de Haïdouks) e, a encerrar o festival, a No Smoking Band do realizador sérvio Emir Kusturica, que integra o júri desta edição.

“Num momento particular, que atravessamos, de discussão da presença da etnia cigana em Portugal, achámos extremamente importante fazer toda uma análise do que é verdadeiramente a cultura Rom, a celebração e tudo o que nos têm dado”, afirmou o produtor e diretor do LEFFEST, Paulo Branco, durante a conferência de imprensa.

Nesse âmbito, o festival vai também apresentar uma exposição – anunciada como a primeira em Portugal -, no MU.SA, em Sintra, da artista Rom austríaca Ceija Stojka (1933-2013), que sobreviveu a três campos de concentração Nazis e veio a tornar-se uma pintora e escritora que expôs em múltiplos países ao longo da carreira.

Adicionalmente, o festival vai também organizar debates quer sobre o passado da comunidade Rom quer sobre a situação atual, numa celebração que pretende servir de “resposta e reação a todos os discursos xenófobos e anti-Rom que está a haver na Europa inteira”, como disse a programadora Inês Branco Lopéz.

O LEFFEST, que se volta a distribuir por vários espaços de Lisboa e Sintra, vai ter oito filmes em competição e mais de uma dezena fora dela, com destaque para estes últimos, entre os quais se contam os mais recentes trabalhos de Wes Anderson (“The French Dispatch”, aplaudido no festival de Cannes deste ano), de Joaquim Pinto e Nuno Leonel (a trilogia “Pathos Ethos Logos”), de Paul Schrader (“The Card Counter”) ou de Joachim Trier (“The Worst Person in the World”).

A competição do festival inclui “A Chiara”, de Jonas Carpignano, “A Night of Knowing Nothing”, de Payal Kapadia, “Brother’s Keeper”, de Ferit Karahan, “Onoda – 10.000 Nuits Dans La Jungle”, de Arthur Harari, “Ouistreham”, de Emmanuel Carrère, “Red Rocket”, de Sean Baker, “The Innocents”, de Eskil Vogt, e “Unclenching The Fists”, de Kira Kovalenko.

Para além de Kusturica, o júri desta edição é composto pelo Nobel da Literatura J. M. Coetzee, pela realizadora e produtora Maria Speth e pela atriz Dolores Chaplin.

O LEFFEST vai ainda realizar retrospetivas de Jane Campion, Ryusuke Hamaguchi, Mike Dibb, Cristi Puiu e Maria Speth, com um foco sobre o trabalho do realizador e produtor português Rodrigo Areias e a exibição de peças filmadas e uma ‘masterclass’ pelo encenador italiano Romeo Castellucci.

Pela primeira vez, o festival vai ter uma extensão em Matosinhos, no Norteshopping, de 21 a 25 de novembro, em parceria com os Cinemas NOS.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.