No verão de 2015, "Quarteto Fantástico" foi um raro caso de fracasso na transposição de "comic books" para o cinema.

O filme realizado por Josh Trank, que era a tentativa de relançar uma saga que já deu dois filmes em 2005 e 2007, foi arrasado pelos críticas, mas também não agradou aos espectadores, pois custou 120 milhões de dólares e apenas fez 56 nas bilheteiras dos EUA, mais quase 112 no resto do mundo.

Uma vez que é necessário que as receitas ultrapassassem três vezes o orçamento oficial para o estúdio pagar todas as despesas envolvidas no lançamento, é fácil perceber que o prejuízo financeiro foi brutal e tornou-se uma mancha no currículo de todos os envolvidos.

Um deles é Miles Teller, que tentou explicar o que correu mal durante uma entrevista no podcast happysadconfused.

Defendendo o filme onde interpretou Reed Richards ao lado de Kate Mara, Michael B. Jordan e Jamie Bell, o ator explicou que o problema foi um mau argumento, deixando entender que o problema já existia antes de assinar o contrato, mas que sentiu que podia ser melhorado e o projeto era uma oportunidade difícil de recusar.

“Acho que foi [George] Clooney que disse que se pode fazer um mau filme de um bom argumento, não é possível fazer um bom filme de um mau argumento e isso é muito verdade. Se te dizem que talvez o teu papel não é tão grande e que 'Vais ser mais importante na sequela' ou 'Vamos reescrever' e 'Sim, vamos levar em conta todas as notas [de sugestões]', se estás numa posição em que podes dizer 'esperem, não vou assinar até que este argumento estar como queremos' então estás numa posição privilegiada", explicou.

"Porque conheço atores que literalmente tiveram interpretações que ganharam Óscares que me disseram que foi uma luta diária para o argumento ficar como queriam e estavam sempre a lutar pela melhor versão", acrescentou.

Miles Teller teve também o cuidado de não destacar ninguém como responsável pelo fracasso, explicando que muitas pessoas trabalharam bastante no filme e que isso ainda aumentava em maus projetos para tentar que fiquem melhores.

"As pessoas acham que quando se faz algo como 'Quarteto Fantástico' que não corre bem que não nos esforçamos e isso não podia ser mais falso. Trabalha-se mais em mais filmes ou em filmes que acabam por não ser o que se esperávamos porque algo não está a funcionar. E pensei que de certa forma foi injustamente criticado por isso; existem fracassos ainda maiores quando se vê o dinheiro que se gastou e o que renderam. Mas acho que é lamentável quando um filme como esse fica marcado num currículo quando tantas pessoas talentosas trabalharam realmente bastante e talvez uma mão cheia de pessoas levou-o para uma direção errada."

Após o fracasso de "Quarteto Fantástico", os planos para lançar uma sequela em 2017 foram cancelados.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.