“Os espetáculos agendados para o mês de julho para o evento Música no Parque, a decorrer no Hipódromo Manuel Possolo, em Cascais, estão adiados para agosto. Solidários com o esforço do país e sobretudo numa manifestação de respeito pelos profissionais de saúde que combatem nova vaga pandémica, a Live Experiences, promotora do festival Música no Parque, e a Câmara Municipal de Cascais, consideram não estarem reunidas as condições indispensáveis para a realização dos espetáculos”, refere a promotora num comunicado hoje divulgado.

De acordo com a Live Experiences, este adiamento “conta com o apoio de todos os artistas em cartaz.” “[Todos] Voltarão a pisar o palco do Hipódromo em agosto”, garante.

O festival deveria decorrer nos dias 22, 23, 24, 29, 30 e 31 de julho, e foi reagendado para os dias 19, 20, 21, 26, 27 e 28 de agosto, no Hipódromo Manuel Possolo. Em cada noite haverá duas atuações.

No dia 19 de agosto, atuam Dino D’Santiago e Pedro Mafama, no dia 20, Fernando Daniel e Cláudia Pascoal e, no dia 21, Os Quatro e Meia e Mimi Froes.

Para 26 de agosto, está marcado o espetáculo “Deixem o Pimba em Paz”, que reúne Bruno Nogueira, Manuela Azevedo, Filipe Melo, Nuno Rafael e Nelson Cascais. No dia seguinte, 27 de agosto, atuam Carminho e um artista a anunciar e, no dia 28, sobem a palco os Xutos & Pontapés e Churky.

Para a promotora, “ainda que o futuro seja imprevisível, este adiamento assenta na expectativa e na esperança fundada na ciência de que maiores percentagens de população vacinada não só quebrarão o pico de infeções previsto para as próximas semanas, como permitirão também a realização de espetáculos num ambiente de segurança e de uma nova normalidade”.

Os bilhetes para as datas de julho são válidos para as datas correspondentes em agosto, “não sendo necessário efetuar troca”.

No entanto, “os portadores de bilhetes para as datas de julho têm direito à emissão de um vale de valor igual ao preço pago, que pode ser utilizado até 31 de dezembro de 2022, na aquisição de bilhetes para o mesmo espetáculo a realizar em nova data ou para outros eventos realizados pelo promotor Live Experiences”.

A promotora recorda que, de acordo com a legislação em vigor, “o pedido do vale tem de ser feito no ponto de venda onde o bilhete foi adquirido e a troca do bilhete por vale tem de ser feita até 15 de agosto de 2021”.

O festival Música no Parque é um projeto “aprovado no âmbito do Programa Garantir Cultura, sendo cofinanciado pelo COMPETE 2020, PORTUGAL 2020, União Europeia Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional”.

O verão do ano passado decorreu sem os habituais festivais de música em Portugal, estimando a Associação Portuguesa de Festivais de Música (Aporfest) uma perda de cerca de 1,6 mil milhões de euros, contra os dois mil milhões originados em 2019, pela atividade.

Por causa das restrições para limitar a propagação da COVID-19, pela situação pandémica noutros países e pelos diferenciados ritmos de vacinação, este ano já voltaram ser adiados vários festivais de música em Portugal, entre os quais, o Alive (Oeiras), o Rock in Rio Lisboa, o Primavera Sound (Porto), o Paredes de Coura, o Boom Festival (Idanha-a-Nova), o Super Bock Super Rock (em Sesimbra) e o Músicas do Mundo de Sines.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.