Carlos do Carmo anunciou em fevereiro que iria terminar este ano a carreira, e a decisão coincide com a celebração dos seus 80 anos, em dezembro.

"De novo acompanhando a lucidez com que anunciou o fim da sua carreira nos palcos, de novo celebrando, desta vez o seu 80.º aniversário, pensámos em editar algo em retrospetiva", afirma a editora hoje em comunicado.

A coletânea "Oitenta" apresenta oitenta músicas, repartidas por quatro discos, "dando a devida importância aos autores e aos poemas, fazendo vénia ao fado tradicional que o guiou toda a vida e que lhe permitiu ser um dos mais inovadores de sempre no género".

O registo sai numa altura em que Carlos do Carmo está a preparar um novo álbum, sem pressas e sem data de edição, disse à agência Lusa o agente do artista.

"Um homem na cidade", "O homem das castanhas", "Fados dos cheirinhos", "Fado Ultramar" e "Loucura" são alguns dos temas incluídos nesta coletânea.

O alinhamento apresenta ainda músicas que Carlos do Carmo gravou com Carlos Paredes ("Fado Moliceiro"), Maria João Pires ("Morrer de ingratidão") e Bernardo Sassetti ("Talvez por acaso", "Retrato", "O sol" e "Gracias a la vida").

Ary dos Santos, António Gedeão, Vasco Graça Moura, Maria do Rosário Pedreira e Mário de Sá Carneiro são alguns dos autores presentes nesta coletânea.

Em fevereiro, o fadista anunciou que irá pôr fim à carreira este ano, mas que ainda fará este ano concertos, nomeadamente os que estão marcados para os coliseus do Porto (2 de novembro) e de Lisboa (9 de novembro).

Nascido em Lisboa, em 21 de dezembro de 1939, Carlos do Carmo cumpre 80 anos em dezembro.

“Será o ano da despedida, sem amarguras, sem azedumes", disse Carlos do Carmo numa mensagem gravada em fevereiro. "Será o ano da despedida com muita, muita, muita gratidão a todas as pessoas que me têm dado ao longo da vida tantas, tantas alegrias e tanta generosidade”, concluiu.

Com um percurso de mais de 50 anos, Carlos do Carmo foi reconhecido, em 2014, com um Grammy Latino de carreira, o que lhe valeu igualmente o Prémio Personalidade do Ano – Martha de la Cal, da Associação Imprensa Estrangeira em Portugal.

Em 2015, recebeu a "Grande Médaille de Vermeil" da cidade de Paris, "a mais alta distinção" da capital francesa, e, um ano depois, foi-lhe atribuído o título de Grande-Oficial da Ordem do Mérito, da Presidência da República.

Em 2013, quando celebrou 50 anos de carreira, editou o álbum “Fado é amor”, que gravou em duo com vários fadistas, entre os quais Ricardo Ribeiro, Camané, Mariza, Raquel Tavares e Marco Rodrigues.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.